“Fui catapultada, do ventre da Mãe Terra para renascer como a mãe de uma outra mulher”

Por Mariana Keller

Embora eu tenha participado de muitas vivências, rituais e cursos, só no dia 5 de dezembro de 2016 pude de fato entender a profundidade, força e o verdadeiro significado que tanto lia sobre o Sagrado Feminino!

Embora já com 15 anos dando aula de yoga, nesse dia, mais que especial, tive a maior, mais intensa e profunda experiência mística de toda minha vida: pari 100% consciente a minha filha no ninho do meu lar! Gratidão primeiro a minha mainha, pela compreensão respeito apoio e cuidados maternais mesmo não concordando com a minha vontade! Gratidão a toda a equipe por serem meus guardiões nessa jornada!

Mais do que nunca, agora reconheço a força da Mãe Terra, velada em cada mulher! Agora entendo ainda mais a importância desse movimento de resgate do sagrado (tão difamado, violentado, usurpado, roubado, queimado, estuprado...) estar em conexão ao movimento do parto humanizado, aonde a mulher emponderada é a protagonista!

No dia 5 de dezembro de 2016, eu sabia que você estava bem e eu apenas respirava e a cada exalação eu entregava meu corpo à serviço, como veículo, para que a Mãe Natureza operasse toda a sua força de criação, sustentação e dissolução da vida através de mim! Eu apenas escutava meu corpo, sua sabedoria primordial, ancestral, e eu sabia a hora de agachar, andar, deitar, rastejar e grunir como fêmea, respirar, comer ou não, beber ou não, tomar banho, gritar, apertar e puxar os cabelos do maridão, relaxar e me entregar novamente!

A cada contração, meu corpo abria e me empurrava cada vez mais fundo nas profundezas da Mãe Terra e entre uma contração e outra, lá eu ficava, no colo da Grande Mãe. Poucas vezes, numa ausculta do seu coração, me trouxe de volta para o colo do paizão, mas logo vinha uma nova onda de contrações que me fazia mergulhar ainda mais fundo e me catapultava a um estado de consciência e conexão que jamais poderia vislumbrar!

Mas sim, teve um único momento em que pensei: será que pode ser ainda mais forte? E em resposta a esse devaneio momentâneo, eis que uma série, uma sequência de ondas veio e logo em seguida você coroou! Nesse momento, eu me entreguei e relaxei nos braços da minha cuidadora (doula) e numa sequencia ainda mais profunda o manto da Grande Mãe me envolveu e você veio, sem choro, dentro da mãe d'água, direto para os braços do seu pai, e eu fiquei um tempo lá, no centro da Terra, de volta ao ventre da Mãe Divina, num silêncio profundo, inebriada do mais doce e puro amor, intoxicada de oxitocina natural, em outro plano de existência!

Eu sabia que você era muito forte e com uma determinação que em menos de 3 horas de parto ativo resolveu o assunto, sabia para que veio e chegou chegando sem cerimônias! Eu só não sabia e nem imaginava seu sexo até que o seu pai revelou: é menina! Nessa hora, mais uma vez fui catapultada, só que do ventre da Mãe Terra para renascer como a mãe de uma outra mulher, agora em meus braços, ainda conectadas pelo cordão que pulsava, com seus imensos olhos azuis, arregalados e rasgados que me olhava fixamente já apaixonada! Já nasceu tão linda, tão linda que não pude não colocar um nome de Deusa, Ísis, filha da Lua!

E eu que caminhei por tantas trilhas de autoconhecimento, não conhecia o Amor Maior que existia dentro de mim... Amor que não cabe no peito, amor além da vida e que transborda a alma! Gratidão, filha, por me escolher como mãe, por fazer parte da minha vida, por me dar a maior oportunidade de conexão com o Sagrado, de poder encontrar frente a frente com minha sombra, de me fazer conhecer o maior Amor do mundo que existia como potencial dentro de mim!

Um ano se passou de muito amor, colo, tete, dengo, chorinho, aconchego, acolhimento, risadas, gargalhadas, brincadeiras, tarim (carinho)! Um ano do meu maior karma yoga, puro seva, meu mais intenso retiro, um ano de Sagrado Feminino na prática, à serviço das forças de criação, manutenção e dissolução da Mãe Natureza!

*Esse texto também foi publicado no dia 05 de dezembro de 2017 no Facebook